Planejador de voo: o que é e como preenchê-lo

Stefano Caterina - Operações e Comunicação, Maply
March 23, 2022

Se você pretende realizar medições aéreas, você precisará de um planejador de voo. Mas o que é isso, afinal? Essa é uma pergunta comum para quem está começando a realizar aerofotogrametria com drones. 

É essencial conhecer o conceito e saber usar o plano de voo para medir e analisar uma propriedade da forma mais eficiente possível. 

Por isso, neste artigo você vai entender o que é um planejador de voo, quais são os elementos essenciais para planejar e realizar seu voo de drone, e como usar o planejador da forma certa. Boa leitura!

Afinal, o que é um planejador de voo?

O planejador de voo é uma ferramenta, em geral um aplicativo, que permite planejar em detalhes os voos de drones para medição e coleta de dados em campo. Assim, é possível realizar as avaliações de forma segura e completa, sem necessidade de refazer o trabalho várias vezes ou correr o risco de colher informações distorcidas.

Para quem não está acostumado com esse tipo de tarefa e com o uso de drones, pode ser um desafio configurar o plano de voo de forma precisa, segura e padronizada. Mas a ideia básica por trás do plano é planejar os diferentes cenários possíveis no dia da medição e se preparar para cada um deles de forma antecipada.

Além disso, é importante entender o que cada elemento da configuração quer dizer, uma vez que cada medição é única e os responsáveis pela tarefa precisam se adaptar a isso. 

Por fim, é importante lembrar que o voo de drone é uma missão complexa, mas com o plano de voo bem-feito é possível até para um piloto iniciante realizar a missão sem problemas.

Padronização da coleta de imagens

É importante ressaltar que a combinação da tecnologia de GPS dos drones com os planejadores de voo permite um excelente padrão na coleta de dados. Aliás, além da agilidade e da segurança, um dos principais diferenciais da aerofotogrametria com drones é justamente a padronização dos dados.

Antes, por exemplo, um topógrafo precisava realizar vários levantamentos de pontos distintos, obtendo pouca precisão e, em alguns casos, até uma certa distorção. Agora, com drones e planejador de voo à disposição, é possível obter, a partir da sobreposição de imagens e alguns pontos de controle em solo (GCPs), um ortomosaico georreferenciado com precisão de centímetros.

Isso porque, antes do voo, já é possível saber e configurar a duração do voo, a resolução das imagens, o tamanho da área a ser mapeada, a quantidade de imagens a serem geradas, a distância total percorrida pelo drone, entre outras informações.

Elementos essenciais do planejador de voo

Alguns elementos são essenciais para que você consiga usar o planejador de voo da forma certa. Aliás, sempre vale destacar que não se trata apenas de preencher alguns dados em um aplicativo. Pelo contrário, realizar uma missão de medição com drone exige uma série de cuidados para preservar tanto o equipamento quanto a qualidade dos dados.

Assim, alguns dos itens mais importantes que você precisa levar em conta para realizar o plano de vôo com sucesso são:

1. Registro no SARPAS

Voar de drone é coisa séria, e é preciso ter os devidos registros no SARPAS, sistema criado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). A função do sistema é pedir autorização ao espaço aéreo brasileiro para o voo de aeronaves não tripuladas, como RPAs e drones. Você pode encontrar mais informações direto no site do DECEA

Mas isso já nos traz ao primeiro ponto de atenção:

Não basta ter um drone e sair voando, é preciso seguir as regras do controle aéreo para realizar as missões de forma segura e legal.

2. Configurações do drone e da missão

O segundo ponto essencial para que o planejamento de voo funcione é configurar o drone da maneira correta e realizar os preparativos da missão. Mas tudo isso envolve uma preparação antecipada, pois envolve itens, como:

  • baterias de reserva carregadas para garantir a missão;
  • cartão de memória com armazenamento suficiente para a missão;
  • condições do terreno que será sobrevoado;
  • condições do clima no dia do voo;
  • entre outras.

Os preparativos práticos da missão são simples, mas envolvem muitos detalhes. Então é importante lembrar que a missão começa muito antes de o drone decolar.

3. Definição da GSD

Ainda nas configurações da missão, outras definições essenciais são a altura, o nível de sobreposição e a direção do voo. Esses itens, somados a outros, como a qualidade da câmera, vão determinar a GSD (Ground Sample Distance), que se refere à proporção que cada pixel capturado na fotografia representa no mundo real. 

Ou seja, a combinação entre altura do voo e densidade de pixels vai determinar a GSD. Quanto melhor o equipamento fotográfico e mais baixo o voo, maior o detalhamento da imagem e menor o valor da GSD. 

Caso a câmera capture menos pixels e o sobrevoo seja de maior altitude, a definição da fotografia vai ser menor e o valor da GSD, consequentemente, maior. 

Para saber mais, confira este post: Por que a GSD impacta no processamento de imagens de drones

4. Medidas de segurança

As medidas de segurança são importantes para preservar tanto o equipamento quanto a integridade das informações. Além disso, o mais importante é pensar nas pessoas que podem se machucar se o drone sobrevoar alguma área restrita ou proibida.

Por isso, não adianta pensar que só porque o equipamento não é tripulado, ele não oferece riscos à saúde de outros. Assim, algumas das medidas mais importantes a que você precisa ficar de olho são:

  • regras de segurança estabelecidas no país e na região;
  • condições climáticas;
  • condição da área no momento do voo. Por exemplo, é sempre melhor evitar realizar as missões quando houver pessoas trabalhando no local;
  • não voar acima de 400 pés, o que poderia colocar o drone na rota de colisão com outras aeronaves;
  • evitar todo tipo de distrações antes e durante o voo;
  • tomar cuidado com possíveis interferências no voo;
  • entre outras medidas.

Em outras palavras, todo o cuidado é pouco quando se fala em segurança de voos não tripulados. E isso nos leva ao segundo ponto de atenção:

Voar com drones é coisa séria. Apesar de ser uma tarefa simples com o planejador, é preciso atenção. Aliás, o fato de ser simples e prático torna necessário redobrar a atenção.

5. Checklist de voo

Por fim, como garantir de forma prática e simples que você sempre vai lembrar de seguir todos os passos listados até agora? Com um checklist de voo bem elaborado. Assim, você sempre pode ter certeza de que cumpriu cada um dos requisitos citados aqui antes de realizar cada voo nos seus terrenos e propriedades.

Mesmo os pilotos experientes reconhecem o grande valor de contar com um bom checklist de voo, então nada mais justo que manter o seu sempre à vista e segui-lo de perto. 

Aliás, você pode baixar o checklist de pré-voo da Maply para usar em todas as suas missões.

Como usar seu planejador de voo na prática

Ao preencher seu planejador de voo com as informações relevantes, alguns itens que não podem faltar são:

  • Mapa do terreno em formato kml, para importar as informações geográficas para o aplicativo do drone. Caso não tenha o arquivo, também é possível desenhar a área diretamente no planejador;
  • E os pontos de decolagem, pouso e pontos de controle. Lembre-se que quanto mais acidentado o terreno, mais pontos de controle é preciso colocar no plano de voo.

Além disso, aqui vão algumas dicas importantes de segurança:

  • De preferência, coloque o drone em piloto automático, para evitar acidentes e quedas;
  • Só realize a missão se o clima estiver limpo ou totalmente nublado, para evitar sombras nas imagens;
  • Coloque um alerta quando a bateria do drone chegar em 20%. Assim você terá tempo de realizar a troca e retomar a missão sem perder os dados coletados;
  • Cuidado com regiões de mata fechada e rios, que podem comprometer a qualidade da medição e a segurança do equipamento.

Em resumo, o planejador de voo é uma ferramenta essencial para quem precisa usar drones na medição de terrenos e propriedades. Afinal, todos os detalhes do voo, o trajeto, a altitude, os parâmetros de avaliação e outros pontos técnicos importantes ficam nesse plano detalhado.

Ainda tem dúvidas sobre o uso de drones? Confira agora 5 benefícios do monitoramento de obras com drones

Juntos podemos transformar a coleta de dados mais simples, acessível e eficaz.

Somos entusiastas da transformação digital e trabalhamos para re-significar processos e a coleta de dados em grandes obras, promovendo eficiência, segurança e produtividade.

Pronto para Começar?
Converse conosco e veja como podemos ajudá-lo.
Comece Agora

Navegue por nossa biblioteca de conteúdo e veja como estamos tornando a coleta de dados mais simples, acessível e eficaz.

Documentação

Nossa documentação foi elaborada para orientá-lo nas melhores práticas de operação de captura, processamento e análise dos dados.

Blog

Nossa equipe compartilha as principais novidades do setor, além de artigos, estudos de caso e novas tecnologias.